jusbrasil.com.br
18 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro TJ-RJ - APELAÇÃO: APL 0104093-75.2012.8.19.0038 RJ 0104093-75.2012.8.19.0038

Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
TERCEIRA CAMARA CRIMINAL
Partes
Apelante: MINISTERIO PUBLICO, Apelado: JOSIVALDO FERREIRA DE LIMA
Publicação
27/11/2014 16:06
Julgamento
18 de Novembro de 2014
Relator
DES. MONICA TOLLEDO DE OLIVEIRA
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-RJ_APL_01040937520128190038_42017.pdf
Inteiro TeorTJ-RJ_APL_01040937520128190038_6b964.pdf
Inteiro TeorTJ-RJ_APL_01040937520128190038_67a8b.pdf
Inteiro TeorTJ-RJ_APL_01040937520128190038_9649d.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

Apelação. Artigo 33, 37 da Lei 11.343/06. Absolvição. Recurso Ministerial postulando a reforma da sentença para que o acusado seja condenado apenas no delito do artigo 37 da Lei 11.343/06, sob o argumento de que a materialidade e autoria restou suficiente comprovados. Assiste razão ao recorrente. A douta sentença, inobstante o brilho de seu prolator, restou vazada no seguinte fundamento: ¿.forçoso reconhecer que restou vulnerado o princípio contido no inciso LXIII do artigo 50 da Constituição Federal, segundo o qual "o preso será informado de seus direitos, entre os quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a assistência da família e de advogado".No caso concreto, nenhum desses direitos foi respeitado e, sobretudo, não há mínimo indicio nos autos de que o acusado tenha sido efetiva, clara e previamente informado a respeito deles, do que se concluiu de forma inafastável que a pretensa ¿confissão informal¿ e a materialidade do delito, in casu, foram obtidas por meios ilícitos. ¿ A prova oral, consistente nos depoimentos dos policiais militares responsáveis pela prisão do acusado é idônea para lastrear o decreto condenatório, eis que os milicianos não hesitaram em afirmar que o acusado confessou a posse do rádio transmissor e que o havia jogado através do muro para uma outra casa onde terminou sendo encontrado pela polícia. Os policiais efetivamente confirmaram ter sido o acusado que indicou o local onde estava o rádio. Acolhe-se o recurso para reformar a sentença e condenar o acusado no delito tipificado no artigo 37 da Lei 11.343/06, com pena fixada em 2 anos e 04 meses de reclusão e 350 dias-multa, no regime semiaberto. Reincidência que impede a substituição de pena. Provimento do recurso.
Disponível em: https://tj-rj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/154064531/apelacao-apl-1040937520128190038-rj-0104093-7520128190038

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul
Jurisprudênciahá 5 anos

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul TJ-MS: 0001526-83.2014.8.12.0007 MS 0001526-83.2014.8.12.0007

Tribunal Regional Federal da 1ª Região
Jurisprudênciahá 4 anos

Tribunal Regional Federal da 1ª Região TRF-1 - EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE NA ACR (EINACR): EINACR 0004831-90.2005.4.01.3900

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul
Jurisprudênciahá 3 anos

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJ-RS - Habeas Corpus: HC 70081657082 RS