jusbrasil.com.br
17 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro TJ-RJ - APELAÇÃO: APL XXXXX-52.2020.8.19.0001

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL

Partes

Publicação

Julgamento

Relator

Des(a). ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA

Documentos anexos

Inteiro TeorTJ-RJ_APL_00182005220208190001_60db1.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

Ação de conhecimento objetivando o Autor indenização por danos material e moral que teria sofrido após ser vítima do "golpe do motoboy", com pedidos cumulados de cancelamento dos débitos efetuados e do empréstimo consignado contratado, no valor de R$ 50.000,00, e de devolução, em dobro, dos valores indevidamente pagos. Apelação do Réu. Preliminar de ilegitimidade passiva arguida pelo Apelante que se rejeita. Teoria da Asserção. Relação de consumo. Instituição bancária que deve guardar, com zelo ainda maior, os dados pessoais sensíveis de seus clientes, a fim de evitar a execução de fraudes em razão do vazamento destes dados, cuja privacidade não pode ser violada, mormente em se tratando de empresa do porte do Apelante, que dispõe de todos os recursos para evitar tais acontecimentos. Fraude perpetrada por terceiro que não tem o condão de afastar a responsabilidade do fornecedor, uma vez que se trata de fortuito interno. Súmula 94 do TJRJ. Precedentes do TJRJ. Apelante que não logrou comprovar a regularidade das transações bancárias, ônus que lhe competia, a teor do disposto no artigo 373, inciso II do Código de Processo Civil e no artigo 14, § 3º da Lei 8.078/1990, sendo certo que as operações impugnadas eram incompatíveis com o perfil do Apelado. Falha na prestação do serviço. Dever de indenizar. Restituição, em dobro, dos valores indevidamente cobrados. Aplicação do artigo 42, parágrafo único da Lei 8.078/1990 ante a inexistência de engano justificável na cobrança tanto mais que o Apelante fora comunicado dos fatos pelo correntista. Sentença que, com acerto, declarou a nulidade do empréstimo consignado que o Apelado se viu obrigado a contrair, no valor de R$ 50.000,00, em decorrência dos diversos débitos indevidamente efetuados em sua conta bancária, por falha na prestação do serviço de segurança oferecido pelo Apelante. Dano moral configurado. Indenização por dano moral que comporta redução para R$ 10.000,00, montante mais compatível com a repercussão dos fatos narrados nos autos. Precedentes do TJRJ em casos análogos. Honorários advocatícios de sucumbência que observaram os critérios legais, não comportando a redução pretendida. Provimento parcial da apelação.
Disponível em: https://tj-rj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1282879851/apelacao-apl-182005220208190001

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça de São Paulo
Peças Processuaishá 5 meses

Razões - TJSP - Ação Defeito, Nulidade ou Anulação - Procedimento do Juizado Especial Cível

Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Jurisprudênciahá 2 meses

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - RECURSO CÍVEL: XXXXX-33.2021.8.24.0075

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro
Jurisprudênciahá 6 meses

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro TJ-RJ - APELAÇÃO: APL XXXXX-71.2020.8.19.0002

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios TJ-DF: XXXXX-54.2019.8.07.0001 DF XXXXX-54.2019.8.07.0001

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro
Jurisprudênciahá 2 meses

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro TJ-RJ - APELAÇÃO: APL XXXXX-71.2021.8.19.0001