Carregando...
JusBrasil - Notícias
23 de outubro de 2014

Loucura e Crime são temas de debate na Emerj

Publicado por Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (extraído pelo JusBrasil) - 5 anos atrás

LEIAM 0 NÃO LEIAM

A Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj) realizou nesta quarta-feira, dia 17, a palestra "Loucura e Crime - Internação Manicomial e Direitos Humanos", organizada pelo Fórum Permanente de Direitos Humanos.

No início do evento, o Teatro do Oprimido, composto por internos do Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico Heitor Carrilho, que fica no Complexo Penitenciário da Frei Caneca, apresentou uma peça que mostrava situações pelas quais passam os internos enquanto esperam pela liberdade.

A palestra foi aberta pelo presidente do Fórum, desembargador Sergio de Souza Verani, que falou sobre a importância de se discutir o problema da institucionalização no país. Em seguida, a psicóloga da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e membro do Movimento da Luta Antimanicomial, Ana Carla Souza Silveira da Silva, falou sobre as dificuldades do Movimento. "Nosso objetivo é acabar com toda situação de opressão, é 'quebrar os muros' dos hospitais psiquiátricos para que as pessoas que estão ali, excluídas, apareçam para a sociedade. A dificuldade é que a cultura do nosso país é pela prisão e pela internação" , afirmou.

Em seguida, o diretor do Hospital Heitor Carrilho, Marcos Argolo, mostrou uma avaliação da atual situação do Estado. "Nossa clientela é de pessoas com problemas mentais que cometeram crimes e pessoas em quem a Justiça determinou que fosse feita perícia mental, como exames toxicômanos e de cessação de periculosidade. No nosso hospital temos 142 internos, sendo 80% do sexo masculino e a maioria tem o primeiro grau incompleto ou é analfabeta". Argolo lembrou que a falta de suporte sócio-familiar é o que mais dificulta a volta dos internos para a sociedade. "Às vezes a família não o quer de volta, pois dos que cometeram homicídio, 40% foi contra pessoa da família e cerca 20% contra conhecidos", esclareceu o diretor

A psiquiatra da Seap Tânia Kolker lamentou o fato de, na nossa sociedade, haver um "clamor público" por mais prisões e mais internações. "Meu sentimento é de urgência, pois precisamos, sem demora, transformar a prática e a legislação em torno da medida de segurança de internação. No Rio de Janeiro já estamos tendo uma experiência que mostra que é possível a desinstitucionalização e a reinserção social. Estamos fazendo um levantamento das pessoas e dos custos necessários para melhorarmos o sistema e o melhor é que os juízes já estão determinando o atendimento ambulatorial de preferência à internação" , afirmou.

A juíza da Vara de Execuções Penais (VEP) do Rio, Juliana Benevides de Barros, encerrou a palestra ratificando que o principal problema é que muitas vezes a família não quer o interno de volta. "Podemos desinstitucionalizar o paciente e enviá-lo para tratamento ambulatorial, mas algumas vezes não temos para onde mandá-lo, pois nem sempre há vagas nas residências terapêuticas. O que temos feito é manter internados esses pacientes que não têm para onde ir até que alguém se responsabilize por eles, pois não podemos soltá-los sem que ele tenha um responsável pelo período de um ano", explicou a juíza.

No final das exposições, o presidente da mesa, desembargador Sergio Verani, abriu o tema para que fosse debatido pela platéia.

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Órgão colegiado constituído de juízes de segunda instância, denominados "desembargadores". Em 1751, foi criado o Tribunal da Relação do Rio de Janeiro, tendo por jurisdição todo o território ao sul da colônia, compreendendo inicialmente treze comarcas. Tinha ao todo dez desembargadores, sendo presid...


0 Comentário

Faça um comentário construtivo abaixo e ganhe votos da comunidade!

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;)

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi. O JusBrasil pode te conectar com Advogados em qualquer cidade caso precise de alguma orientação ou correspondência jurídica.

Disponível em: http://tj-rj.jusbrasil.com.br/noticias/1356805/loucura-e-crime-sao-temas-de-debate-na-emerj